domingo, maio 25, 2014

Coluna Onde estão os Bibliotecários? por Grazielli Moraes

A ex-aluna da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, Grazielli, já deu as caras aqui no blog antes! Isso porque ela é dona de um dos TCC's modelos de 2013 sobre  a implantação de uma Biblioteca Comunitária em um abrigo em São Mateus, na Zona Leste de São Paulo. Sempre com vontade de colaborar ela se voluntariou para falar um pouco a respeito dos ex-alunos de Biblioteconomia: Como estão agora? O que fazem? Quais são seus planos? E assim inauguramos a mais nova coluna da Monitoria Científica: Onde estão os Bibliotecários?


Aos que desejam saber onde estão os Bibliotecários formados pela FESPSP essa nova coluna vem com o intuito de descobrir onde estão tais profissionais, o que fazem, e assim aproximá-los novamente da instituição e dos colegas de profissão.

Iniciaremos com uma ex-aluna e ex-bibliotecária da Biblioteca da FESPSP. 


Fabiana Carla Cândido Gomes, 31 anos, formada em 2006 – iniciou a pós-graduação em Arquivos Empresariais e Meio Ambiente e Sociedade, mas por impossibilidades pessoais não terminou.

Dona de uma simpatia, Fabiana acredita que a Biblioteconomia hoje é uma “área em expansão e com um imenso mercado de trabalho”, no entanto tal mercado a seu ver ainda necessita saber mais informações quanto às atribuições que lhe cabem, principalmente no que se refere às atribuições do próprio profissional da informação, que podem ser agregadas em diversas áreas e dessa maneira valorizar ainda mais profissão da biblioteconomia.
Fabiana menciona que a FESP lhe trouxe toda a parte técnica, as teorias e a realidade “...do imenso leque que o curso poderia oferecer profissionalmente” já que a mesma menciona não ter real noção do vasto mundo da Biblioteconomia ao entrar no curso.

Inicialmente, Fabiana foi estagiária da FESPSP, daí foi crescendo até se tornar Bibliotecária e responsável pelas bibliotecas da FESPSP, já que na época eram duas unidades (Sociologia e Biblioteconomia).

“Com muito orgulho me tornei Bibliotecária Responsável da FESPSP... Claro, cheia de medos e inseguranças, mas feliz pela confiança depositada em mim.”

Por conta da gestação Fabiana acabou tendo que mudar sua vida profissional, e em 2010 voltou ao mercado de trabalho como BILIOTECÁRIA DOCUMENTALISTA na empresa Multinacional PRICEWATERHOUSECOOPERS, empresa essa que lhe possibilitou assumir uma BIBLIOTECA PÚBLICA em Três Lagoas (Mato Grosso do Sul) até os dias atuais.
Em sua função atual Fabiana além de gerir a biblioteca trabalha com crianças, auxilia professores através de atividades e projetos de incentivo à leitura, projetos sociais em presídios e outros projetos que lhe dão imenso prazer.

Ao perguntarmos para Fabiana o que ela gostaria de dizer aos novos integrantes da biblioteconomia e novos colegas de profissão a mesma deixou a seguinte mensagem:


“Somos aquilo que acreditamos. Sonhe alto... e acredite... Pois o curso que escolheu lhe permite um montão de possibilidades.  Sou um pequeno exemplo do acreditar dentro da vastidão de possibilidades que a Biblioteconomia nos oferece. De estagiária a bibliotecária da faculdade onde estudei e trilhando por diversos tipos de bibliotecas, cada uma com seu encanto. EM FRENTE... ACREDITANDO SEMPRE...”


Colaboração na Matéria: Fabiana Gomes




domingo, maio 18, 2014

10 dicas para o bom uso do facebook por Bibliotecas

É um fato que a tecnologia tem invadido cada vez mais nossas vidas, mas isso não necessariamente tem que ser algo ruim, muito pelo contrário, sua utilização de maneira correta e responsável a torna uma ferramenta muito util. Como fonte de pesquisa ou divulgação ela consegue aproximar o que está longe, oferecer oportunidades a um clique de distância e servir até de sala de aula.
Para maior visualização e também como forma de acompanhar uma nova geração “digital” é comum que organizações utilizem de redes sociais para falar a respeito delas mesmas, de suas atividades e produtos. E por que isso seria diferente com bibliotecas?



Cada vez mais comum, o uso de redes sociais por biblioteca é uma excelente ferramenta para entrar em contato com seus usuários e postar sua programação, além de tornar o local mais conhecido também estreita os laços com os frequentadores, porém, não é qualquer coisa que pode ser postada, e pensando nisso o Infotecarios, site colaborativo de noticiais a respeito de Informação e Documentação, postou 10 dicas para o bom uso do facebook por Bibliotecas.



Entre as dicas podemos encontrar “Disseminação da Programação”, “Ser criativo” e “Ser uma página, não um perfil” (erro comum entre páginas de organizações).
O site está em espanhol mas a leitura é completamente compreensível para qualquer um. Clique e confira!


http://www.infotecarios.com/10-recomendaciones-para-el-buen-uso-de-bibliotecas-en-facebook/

Fórum Formação do Profissional da Informação: Como participar?


Há algumas semanas atrás a Monitoria Cientifica realizou a divulgação do Fórum Formação do Profissional da Informação: Desafio Contemporâneo que ira ocorrer entre os dias 26 e 28 de maio na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin.
Paloma Altran, bibliotecária e promotora de eventos em Ciência da Informação, fez um convite aos alunos de graduação e pós-graduação da Fundação Escola de Sociologia e Politica de São Paulo que quiserem participar do evento.
Caso tenha interesse em comparecer mande um e-mail para a monitoria científica (paloma.altran@gmail.com).

Mais informações a respeito do fórum:

http://www3.eca.usp.br/forumdemaio

BIREDIAL 2014 e SIBD 2014

A Universidade Federal do Rio Grande Sul irá realizar a IV Conferência Internacional sobre bibliotecas e Repositórios Digitais (BIREDIAL 2014) e o IX Simpósio Internacional de Bibliotecas Digitais (SIBD 2014) durante a “Conferência Internacional Acesso Aberto, Preservação Digital, Interoperabilidade, Visibilidade e Dados Científicos” entre 15 a 17 de outubro no Hotel Embaixador em Porto Alegre, RS.
Entre os organizadores do evento podemos encontrar a Universidad del Norte (Colombia), Universidad de Costa Rica, Ibero-American Science e Technology Education Consortium (ISTEC), Universidad del Rosario, Universidade Federal do Rio Grande do Sul e o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBCT).


A data para a submissão de resumos foi prorrogada para 1º de junho e é uma ótima oportunidade para a divulgação de trabalhos, assim como para todos os interessados nos assuntos a serem tratados terem a chance de assistirem as apresentações e conhecerem as novidades a respeito da temática.
O evento é dirigido a:
  •  Bibliotecários;
  •  Analistas de sistemas; 
  •  Engenheiros; 
  • Designers;  
  • Estáticos e Comunicadores;
  • Comunidades científicas, Observatórios, Open Data Centers e outros;
  • Pesquisadores e editores de publicações científicas;
  • Estudantes de diversas especialidades;
  • Instituições de educação superior e centros de pesquisa.

Para obter mais informações consulte o site do evento:

domingo, maio 04, 2014

Conhecendo Bibliotecas: Biblioteca Pública Monteiro Lobato.

A biblioteca pública Monteiro Lobato localizada na Praça Rotary no distrito da Consolação bem em frente a FESPSP é a biblioteca infantil em funcionamento mais antiga do Brasil!
Inaugurada em 1936 ela possui um dos maiores acervos de literatura infanto-juvenil da América Latina, além de conter uma gibiteca, acervo de textos teatrais, acervo histórico, documentos e objetos do autor Monteiro Lobato, patrono da instituição.
A instituição possui uma rica programação, confira!

CLUBE DOS LEITORES

Clube de leitura Biblioteca Infantojuvenil Monteiro Lobato
Encontro regular de leitores para discutir as impressões sobre uma determinada obra literária.
Coordenação de João Luiz Marques. Discussão sobre o livro “Charque”, de Marcelo Mirisola, da Ed. Barcarolla, previamente selecionado. Sugerido a leitura antecipada.
Dia 9 de maio às 20h


LEITURA E LITERATURA
Lançamento do livro Mitologia dos 4 Elementos
A escritora Cléo Busatto apresenta seu novo trabalho “Mitologia dos 4 elementos”, um kit com DVD e livro. Com a proposta de ser uma leitura do imaginário de diversos povos, o projeto alia novas tecnologias com a prática de contar histórias. Histórias inspiradas pelo fogo, pela terra, pela água e pelo ar, são narrativas míticas de diversos povos como os maori, da Nova Zelândia; índios Kaiapó, do Brasil; aborígenes australianos e bosquímanos do deserto do Kalahari; Tehuelche, da Patagônia; ameríndios americanos e canadenses, entre outros.
Dia 10 de maio às 10h


TEATRO
Cadê meu nariz
Cadê meu Nariz?
Com Cia O Que De Que
Sem diálogos, a peça da Cia O Que de Que narra a saga de um palhaço que é expulso de um circo por causa de seus frequentes atrasos. Durante a noite, enquanto está dormindo na rua, tem seu nariz vermelho roubado por um cachorro. Ao lado de uma menina, ele persegue o ladrão e encontra pelo caminho personagens como um malabarista, um policial e uma vendedora de pães, todos representados por bonecos manipulados — assim como o cão. Livre
Dia 21 de maio às 14h30



SARAUS
Literatura periférica
A Coordenadoria do Sistema de Bibliotecas convida alguns dos saraus mais reconhecidos da cidade para atividades nas Bibliotecas Públicas. Venha assistir e participar.
Sarau Encontro de Utopias na Monteiro
Dia 20 de maio às 18h


LEITURA COM MEDIAÇÃO

Naquele livro tinha uma história
Com Marta Nosé Ferreira e Maria Haila de Oliveira. 
Às segundas e terças-feiras às 14h30
Às quartas e quintas-feiras às 10h

Leitura para primeira infância
Com Maria de Fátima França Baptista e Marta Nosé Ferreira. De 0 a 6 anos.
Às terças-feiras de maio às 10h
Às quintas-feiras de maio às 15h


CINE GAROTADA
Animações para a primeira infância vol. 2 (curtas)
OFICINA
Brincando em Inglês
Brincadeiras e jogos com o intuito de aproximar crianças e adolescentes à cultura inglesa, através de uma linguagem lúdica e conteúdo didático. De 9 a 16 anos. 14 vagas.
As sextas de maio das 17h40 às 19h

Introdução à Regência Orquestral 
Com os Maestros Daniel Misiuk e Angelino Bozzini.
O curso abordará os princípios teóricos e práticos da regência orquestral para maestros que estejam iniciando sua carreira, ou professores e estudantes de música que desejem se iniciar na regência de grupos instrumentais. 
Inscrições até 26 de abril na biblioteca ou através do e-mail do curso regenciaorquestral@gmail.com
Aos sábados das 10 às 13h

EXPOSIÇÕES
Eu, Lobato
A exposição retrata passagens vividas por José Bento Monteiro Lobato ao longo dos seus 66 anos. Através de painéis biográficos, objetos de uso pessoal e livros escritos e editados por Lobato, visa mostrar a sua importância no cenário literário, econômico e político brasileiro.
De segundas a sextas-feiras das 8h às 18h, sábados das 10h às 17h e domingos das 10 às 14h


Endereço e Contato:

Rua General Jardim, 485 - Vila Buarque, São Paulo - SP, 01223-011
(11) 3256-4122.

Coluna Música e Livros por Bruno Carvalho

Música e Livros é uma coluna escrita por Bruno Carvalho, ex-aluno de Biblioteconomia da FESPSP, que fala a respeito de bandas e o que elas leem, mostrando que musica e livros podem ter tudo a ver!

A banda Uns e Outros  surgiu  em 1983 no Rio de Janeiro. Ficou nacionalmente conhecida pelos singles "Carta Aos Missionários" e "Dias Vermelhos", ambos de 1989, do seu segundo álbum Uns e Outros (relançado em 2009, pela SONY/BMG). Com esse disco explode nas rádios a música Carta aos Missionários: composição da banda dedicada ao povo do Chile pelo "não" a Pinochet.

Marcelo Hayena - Vocalista da banda Uns  e Outros

1)     Marcelo, quando você decidiu ser músico? Tocou em outras bandas antes do Uns e Outros?
Participei sim, mas, muito rapidamente de outras bandas antes de formar o Uns e Outros. Comecei somente compondo para uma Banda de MPB que se chamava Passaredo, um dia o vocalista faltou o ensaio e o substitui pra quebrar o galho. Continuo quebrando o galho até hoje. Foi aí que eu e Gueu Torres nos conhecemos. Depois saímos e montamos uma banda chamada Extrema Unção que não chegou nem a fazer o primeiro show.

2)     Qual a influência literária nas músicas do Uns e Outros? Que livros e autores influenciaram a banda na década de 80? E atualmente?
É total. Sempre busquei inspiração na leitura para compor as canções da banda. Posso citar alguns como: Gabriel Garcia Marquez, J.P. Sartre, A. Camus, F. Pessoa, Cecília Meirelhes, Vinícius de Moraes, Neruda...são muitos. Via de regra, podem encontrar influência desses e de muitos outros autores em nosso trabalho.

3)      Tem alguma música sua que fala de algum livro? Ou alguma música que tem trecho de livros?
“Ausência”, música que faz parte do LP Terceira Onda foi escrita em cima de um trecho da “Valsa n° 5” peça de Nelson Rodrigues que eu estava lendo na época.

4)      O que está lendo atualmente?
Li recentemente um livro de poesias chamado “Sombrio e Tropical” escrito por um amigo de Curitiba Ottavio Lourenço. Muito bom. Agora estou relendo “Do Amor e Outros Demônios” Gabriel García Marquez.

5)      A banda ainda esta em atividade?
Sim estamos na ativa. Aliás, nunca paramos. Neste momento estamos nos preparando para lançar nosso CD Ao Vivo 25 anos. Ele sairá com 14 faixas e mais uma música nova como bônus. Este ano estamos comemorando 25 anos do lançamento do trabalho de 89 então, os fãs podem esperar mais surpresas para este ano.

6)      Fique a vontade para indicar alguns livros e deixar uma mensagem aos leitores do blog.

Deixo vocês com a genialidade da poesia de Paulo Leminsky:
Amar você é coisa de minutos… - Paulo Leminski
Amar você é coisa de minutos
A morte é menos que teu beijo
Tão bom ser teu que sou
Eu a teus pés derramado
Pouco resta do que fui
De ti depende ser bom ou ruim
Serei o que achares conveniente
Serei para ti mais que um cão
Uma sombra que te aquece
Um deus que não esquece
Um servo que não diz não
Morto teu pai serei teu irmão
Direi os versos que quiseres
Esquecerei todas as mulheres
Serei tanto e tudo e todos
Vais ter nojo de eu ser isso
E estarei a teu serviço
Enquanto durar meu corpo
Enquanto me correr nas veias
O rio vermelho que se inflama
Ao ver teu rosto feito tocha
Serei teu rei teu pão tua coisa tua rocha
Sim, eu estarei aqui



Colaboração na matéria: Marcelo Hayena.

Marketing em Unidades de Informação: algumas reflexões para a aplicação.

Na segunda-feira dia 28 de abril a bibliotecária e consultora de Business Intelligence, Denise Rodrigues So apresentou uma palestra sobre “Marketing em Unidades de Informação: algumas reflexões para a aplicação”.
Os alunos Flávio Gianne e Sidnei Rodrigues de Andrade do 5º Semestre matutino do Curso de Biblioteconomia da FESPSP prepararam um relato à respeito.

Denise tem larga experiência corporativa concentrada em Marketing e Comunicação e iniciou sua palestra com um dado superinteressante que é a menção da mentalidade de Marketing no nascimento da moderna biblioteca. Samuel Green no último quartel do século XIX entendia que o usuário que adentra a Biblioteca não podia sair dali sem a informação procurada assim como se esperava que o consumidor que adentrasse uma loja não saísse de lá sem o produto desejado.
Denise enfatizou os mitos que envolvem a relação Marketing e Unidade de Informação (UI) onde ainda prevalece a estranha ideia de incompatibilidade deste setor com esta que é uma indispensável ferramenta de qualquer gestão, num mundo altamente comunicativo e competitivo.
Segundo Denise, Gestão define o Marketing o qual não pode ser confundido com ações pontuais de comunicação e promoção. Marketing é uma visão estratégica da administração que visa trabalhar mercados, construí-los, bem como a própria imagem da corporação junto a eles, e que no caso da Biblioteca/UI deve ser entendido como sendo o seu target, usuários e comunidade. Sendo assim o Marketing perpassa todas as atividades bibliotecárias e de informação, sendo diretamente associadas às atividades fins que, todavia requerem o fiel cumprimento das funções técnicas por meio das quais a profissão cumpre a sua missão.
Numa rápida panorâmica bastante instrutiva, Denise discorreu sobre as três fases do Marketing.
A primeira centrada nas vendas pela natural alta demanda de compradores então existentes; a segunda centrada no produto que, passando a ser mais ofertado que procurado, exigiu um trabalho de diferenciação de seus equivalentes; e por fim a fase centrada no consumidor, mais exatamente no seu bolso, onde o share of pocket representa a disputa de cada centavo de sua limitada renda, a qual pode ser atraída para as mais diferentes compras.
Concluiu-se que os 4 Ps do Marketing: produto, praça, preço e promoção, devem fazem parte da realidade também da Biblioteca/UI que deve ser vista e tratada como empreendimento, empresa, visando o seu lucro, entendido este em sua dimensão social, já que a informação é efetivamente commodity e como tal precisa circular, atendendo as necessidades do maior número de consumidores/produtores, dando satisfação a todos os seus stakeholders.
Apesar de o mercado informacional ter suas particularidades, a mensuração de seus resultados não pode deixar de ser tratada como um dado objetivo, e como Denise cogitou tudo talvez seja mesmo mensurável.
Nós alunos do quinto semestre do matutino agradecemos a Denise e a professora Adriana Souza por mais esta oportunidade de aprender, e sobre um tema que muito pode contribuir para uma maior significação social da nossa profissão.
Flávio Gianne

No início da palestra Denise apresentou aos discentes a origem do marketing em unidades de informação, e uma árvore genealógica do marketing, explicando como ele foi, com o tempo, construído em suas diferentes manifestações.
Mencionou um especialista, Samuel Green, precursor da visão de marketing na Biblioteca, e em seguida apresentou os seus principais elementos que são as vendas, o produto e o consumidor. Relatou para os futuros bibliotecários, a necessidade de conhecer o perfil do seu público/usuário realizando um estudo sobre ele e sobre a comunidade da qual faz parte. Também relatou um pensamento extremamente importante para aqueles que pensam em desenvolver qualquer estratégia de marketing em uma unidade de informação: “O cliente [usuário] não quer o produto, mas a informação”.
A palestra foi muito bem explicada, sobretudo àqueles sem muito entendimento do assunto, os quais tomam o marketing apenas como mais uma forma de estimular o consumo, desconhecendo a grande diferença que pode fazer para a disseminação da informação nesta nossa sociedade contemporânea cada vez mais conectada por mídias sociais.
Sidnei Rodrigues de Andrade




Caso queria saber mais a respeito mande um e-mail para monitorcientificofabci@gmail.com e solicite a apresentação de slides utilizada na palestra.