quarta-feira, outubro 19, 2016

Capacitação de monitores: Todos podem ser Frida, na FESPSP

Segue abaixo o convite para participar como mediador na próxima exposição que ocorrerá na FESPSP:

Imagem da exposição no Museu da Diversidade Sexual

Exposição Fotográfica na FESPSP, Todos podem ser FRIDA,
03/11 a 03/12
Apoio Museu da Diversidade Sexual, estado de São Paulo

Projeto artístico de Camila Fontenele de Miranda, Todos podem ser Frida. Por meio da fotografia, a artista articula as obras e fases artísticas da pintora mexicana do século XX, Frida Kahlo, com as questões acerca da diversidade cultural, de gênero, étnica e sexual.

O Núcleo de Ação Educativa do Museu da Diversidade Sexual oferece uma capacitação para os alunos interessados em realizar a monitoria. Para tanto, necessita que entrem em contato por e-mail até o dia 20/10, com a professora Tania Callegaro: callegarot@gmail.com.
A professora Valéria Valls e o professor José Mario considerarão a participação dos alunos como horas complementares.

Objetivos:
- Integrar a exposição com o projeto pedagógico da FESPSP que direciona o ensino e os demais eventos para as questões dos direitos humanos e formação da cidadania; 
- Sensibilizar, informar e discutir temas complexos da sociedade contemporânea por meio da arte;
- Desconstruir estereótipos;
- Promover e potencializar o trabalho colaborativo e a comunicação da FESPSP com as instituições culturais e educativas do entorno; 
- Trazer a comunidade local para usufruir dos eventos culturais da FESPSP. 

Público Alvo:
- Comunidade FESPSP;
- Estudantes do ensino público e privado infantil, básico e médio;
- Usuários da Biblioteca Monteiro Lobato;
- Visitantes externos.


Ficou interessado? Entre em contato com a professora Tânia.

PEC: São Bento e o Livro

No dia 25 de outubro, terça-feira, haverá o Programa de Extensão Curricular intitulado "São Bento e o Livro", ministrado por Antônio Cesar Garcia. O evento é gratuito e ocorrerá na sala 66 da FESPSP das 17h30h às 19h. 

Para se inscrever, basta preencher o formulário. 


Não percam!


Trabalho Temático: destaques do primeiro semestre de 2016

O Trabalho Temático é uma iniciativa coordenada pelo professor Ivan Russeff, cujo objetivo é apresentar aos alunos de primeiro ano um livro de literatura brasileira e propor a redação de ensaios sobre múltiplos temas relacionados à obra.

No primeiro semestre de 2016, a turma do primeiro semestre leu “Não verás país nenhum”, de Ignácio de Loyola Brandão. Segue abaixo a lista dos melhores trabalhos, já disponíveis para consulta:


Autoras: Juliana Furlani de Souza e Suely Lucena Canha

Autor: Danny Abensur

Autor:  Simon Fanger

terça-feira, outubro 11, 2016

Relato: Palestra com Ricardo Queiroz

A aluna Renata Corrêa, do quarto semestre do período matutino, enviou seu relato da palestra com Ricardo Queiroz, que veio a convite da professora Tãnia Callegaro falar aos alunos da disciplina de Projetos Culturais sobre Políticas Públicas.

Querem saber como foi?

Turma do matutino com o palestrante.

Dia 26 a professora Tânia Callegaro, da disciplina de Projetos Culturais, nos apresentou Ricardo Queiroz.  Ele chegou falante, contando primeiramente sua trajetória até se formar bibliotecário pela FESPSP e depois descreveu como encontrou seu lugar no mundo, mais especificamente na área de politicas públicas de ação cultural vinculadas a leitura. E concluo que algumas pessoas escolhem a biblioteconomia e outras a biblioteconomia os escolhe. Ele foi escolhido, envolvido e direcionado de uma forma singular. 

Figura atuante, percorreu todos os meandros da biblioteconomia e não se contentou em tornar-se "patrimônio" de biblioteca, preferiu ser um livro aberto, andante. Tornou-se um agente  politizado, consciente e atuante e nos passou uma postura de luta para que as bibliotecas de forma geral, mas, mais precisamente, as públicas e comunitárias, sejam muito mais que pontos de leitura e pesquisa  estáticos e passivos; que sejam terreno fértil para transformação, idealização, conscientização, empoderamento de direitos, de conquistas sociais educacionais e culturais; que o profissional bibliotecário propicie a atuação e conscientização social e não se limite aos espaços da biblioteca.

A nossa área é e sempre será referência como base de acesso à informação, mas os professores da FESPSP se esforçam para que ampliemos nossa visão sobre o universo do conhecimento, da diversidade, do multiculturalismo, do direito e do poder de transformação e do papel do profissional bibliotecário como agente nos processos de conscientização social.

Pensando sobre o discurso do Ricardo lembrei que algumas semanas atrás me deparei com uma situação que despertou em mim uma reflexão desanimadora:
"Me deparo com alguns profissionais da área de biblioteconomia que, literalmente, personificam a postura de livros antigos nas prateleiras das bibliotecas, 'eternamente parados e fechados' e ai de quem tentar tira-los desse comodismo".

Que a nossa geração de bibliotecários seja como livros abertos, agentes ativos e passionais em nosso intuito de nos formarmos como bibliotecários e peças ativas na engrenagem da transformação social. Foi a mensagem que recebemos do Ricardo Queiroz e que a professora Tânia Callegaro tem trabalhado em sua disciplina.

Gratidão por mais esse exemplo de como ser esse livro aberto e de como fazer valer nosso juramento...
"Prometo tudo fazer para preservar o cunho liberal e humanista da profissão de bibliotecário, fundamentado na liberdade de investigação científica e na dignidade da pessoa humana". 

... Ah! Ele é também um ótimo contador de histórias e escritor de contos e crônicas, vale a pena dar uma stalkeada na web.

Convite: Seminário Informação Cultura e Sociedade - CBD/USP

O Departamento de Informação e Cultura Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo convida a todos para o Seminário “Informação, Cultura e Cidade”. Segue abaixo mais informações, adaptadas da página do Facebook do CBD:



O evento será realizado no próximo dia 24 de outubro de 2016 no Auditório da Biblioteca Brasiliana, na Cidade Universitária.  As atividades terão início às 9h, mas é recomendável chegar com antecedência para assinar a lista de presença e garantir o certificado de participação.

Serão realizadas duas mesas de exposição e debates:
  • a primeira mesa será coordenada pelo jornalista e professor Eugênio Bucci que discutirá as relações entre Informação e Cultura;
  • a segunda estará sob a coordenação da jornalista Mônica Waldvogel e debaterá a inserção da Informação no âmbito das políticas e atividades culturais dos municípios.

As inscrições deverão ser feitas aqui. São 200 lugares disponíveis e há restaurante no local. Para maiores informações sobre como chegar na USP acesse este documento.

Relato: Fórum de Inovação e Empreendedorismo na Biblioteconomia: parte 2

por Sidnei Rodrigues de Andrade
Saudações, Profissionais da Informação.
Conforme havia prometido na reportagem especial anterior, aqui está a segunda parte do Fórum de Inovação e Empreendedorismo na Biblioteconomia que aconteceu na Biblioteca de São Paulo, no dia 27 de Agosto – Sábado. Lembrando que a temática do evento: ações inovadoras em vários campos do conhecimento humano.  A segunda parte do fórum que aconteceu no período vespertino, tendo a apresentação da primeira mesa-redonda: Capital Intelectual, Gestão de Pessoas e parceiras estratégicas.
A mediação de Claudia Guzzo – Representante do Guzzo Projetos/ Solidaridad Network/Comissão Técnica do Evento e os convidados: Fabiano Caruso – Representante da ExtraLibris, Guilma Vidal Viruez – Representante da DataCoop e Renate Land – Representante da Egregora Inteligência.
Fonte: Revista Biblioo

A especialista Renate Land menciona bem no inicio de sua apresentação aos profissionais da informação participantes que empreender é criar novas possibilidades e descobrir outros universos. Esse conceito que todos nós, estamos conhecendo é: gestores da informação e do conhecimento será uma tendência muito positiva, para aqueles que querem aprender e compartilhar essa nova “praia”, neste contexto contemporâneo.
As Instituições Públicas e Privadas em qualquer segmento da sociedade civil, precisa e necessita de colaboradores e parceiros com percepções multidisciplinares, a informação será principal elemento na tomada de decisão de quaisquer organizações em âmbito nacional e internacional.
Outro especialista que também afirma esta reflexão do cenário contemporâneo é Fabiano Caruso, disse aos participantes profissionais da informação que existe uma miopia do marketing, alguns colegas e organizações não sabem aprender, onde podem encontrar a solução para atende determinada problemática e a necessidade informacional do seu público.
Atualmente em nosso cenário da política brasileira contemporânea é desfavorável, entretanto é uma excelente oportunidade de encontrar soluções para a demanda social e educacional, não estamos “vendendo” ilusões imediatas, mas extrair máximo possível por meio da informação, que é a solução mais eficaz, que o acesso e a mediação ao conhecimento e da educação sejam as referências e meio que possam transformar as pessoas e instituições para serem os melhores do Planeta Terra.
Fonte: Google
O ambiente digital está constante transformação, por isso não há uma limitação de espaço, recomendou aos profissionais da informação [Bibliotecários, Arquivistas e Museólogos] que aprendam, criem e compartilhem conteúdo de qualidade e necessário de acordo com sua demanda especifica. As unidades de informação sempre vão estar conectadas na cultura digital, porque assim aplicar um conceito que todos queremos realmente neste cenário contemporâneo: conexão de ideias e conhecimento.
Também continua nesta mesma linha de reflexão, a especialista Guilma Vidal Viruez que explicou suas experiências e expõe sobre a importância da instituição DataCoop que idealizou e prestar serviços em várias instituições públicas e privadas. Um tópico bem interessante, mencionado pela Guilma, esta instituição foi idealizada pelos próprios bibliotecários, por esta simples iniciativa, criou uma cooperativa feita pelos profissionais da informação. Isto é um exemplo, aplicáveis para aqueles querem iniciar seus projetos pessoas e profissionais.

A Segunda Mesa-Redonda teve como temática: Apresentação de produtos/serviços e prospecção de clientes, com a mediação novamente da Claudia Guzzo e os convidados: Diego Abadan – Representante da Lepidus Tecnologia, Neide de Sordi – Representante da Innova Gestão, Rodrigo Pereira – Representante da Triagem Consultoria e Todeska Badke – Representante da EDoc.
Fonte: Revista Biblioo
O especialista Diego Abadan relatou sobre suas experiências e explicou como devemos fazer uma apresentação eficiente aos clientes e as instituições públicas e privadas. Sempre seja interessado em compartilhar seu aprendizado, independente de seu cliente e comunidade. Os termos dos profissionais da informação transformem em “simples palavras”, ou seja, mais breve possível na hora oferece e ofertar um determinado serviço.
A segunda convidada Neide de Sordi explanou sobre sua instituição e compartilhou vários pontos bem interessantes aos profissionais da informação, que empreender na área pública e privada é uma grande descoberta e aventura, nunca subtime seus clientes e a comunidade. Esclareça todas suas dúvidas e inquietações, quando estiver aplicando uma metodologia administrativa e profissional. Apontou um alerta importante, para todos os profissionais da informação que atrapalha o desenvolvimento para sermos BiblioEmpreendedores é a: Burocracia do Estado. Ao invés de incentivar, é uns maiores obstáculos que devemos enfrentar neste cenário contemporâneo.
Em seguida o especialista Rodrigo Pereira, têm 14 anos de experiência neste ramo de empreendedorismo, sua instituição é a (Triagem Consultoria). Em seu relato explicou suas experiências na área acadêmica, conheceu esse conceito por meio de outra especialista e convidada: Todeska Badke (EDoc).  A formula mais eficaz para atrair suas demandas, é buscar e localizar determinada informação que algumas instituições de ensino superior não ensinam, este é um grande segredo para todos nós aprendemos.
A formação do profissional da informação precisa ser um aprendizado transversal, ou seja, abrir empresa Junior para que todos possam compreender e entender, o que é realmente este conceito numa vivência teórica e aplicável. Cada demanda e cenário contemporâneo, têm uma forma particular de necessidade informacional, por isso profissionais da informação precisam, sempre aprender e não ter medo de descobrir e “desgustar” novos mundos.
Fonte: Google
“Ler é perceber e descobrir novos cenários e demandas” – Autor Desconhecido
A quarta convidada Todeska Badke compartilhou algumas reflexões pelas suas experiências de 40 anos neste ramo, sempre é uma pessoa inquieta e adorar pessoas. Explicou numa época que não tinha a internet, foi um grande aprendizado aplicar esse conceito: empreender é aplicar o conhecimento em  novas oportunidades.
Em seu relato disse que temos muitas oportunidades por meio da internet, é ficou surpreendida pela ausência de criatividade por parte de alguns jovens deste contexto contemporâneo, o profissional da informação precisa ter interesse em gestão de projetos que possam beneficiar qualquer cenário brasileiro e mundial.
A Terceira Mesa-Redonda teve como temática: Inovação e novos campos de atuação tendo a mediação da Adriana Ferrari – Representante da FEBAB, com as seguintes participantes: Claudia Guzzo – Representante do Guzzo Projetos/Solidaridad Network, Laura Pimental – Representante do UOL e Docente da Pós-Graduação da FESPSP e Paula Azevedo Macedo – Representante da Consultoria de Inovação.
Fonte: Revista Biblioo

A especialista Claudia Guzzo explanou sobre suas experiências e reflexões sobre como foi aprender e compreender este conceito empreender na Biblioteconomia. A implantação da Biblioteca Virtual da Bireme foram dez anos de implantação, a partir dessa oportunidade surgiram vários outros projetos interessantes de recuperação da informação em ambiente digitais. Apresentou vídeo de apresentação para todos os participantes profissionais da informação, onde foi aplicado esta metodologia nessa área de atuação.
O produtor rural sempre necessita de informação para melhorar seu cenário econômico e social, qualquer imagem tem um conhecimento para ser descoberto, quem pode fazer esse gerenciamento da informação? Vocês os profissionais da informação [Bibliotecário, Arquivistas e Museólogos] temos essas habilidades em analisar, tratar e disseminar qualquer item informacional para qualquer demanda nacional e internacional.  Compartilhou uma reflexão excelente aos participantes:
“A função dos profissionais da informação, é encontrar a pergunta certa para sua demanda e a comunidade. Não dar a “resposta certa”, mas apresentar os caminhos do conhecimento”. (GUZZO, FIEB. 2016)
A segunda convidada e docente Laura Pimentel bem inicio de sua explanação, relatou como devemos apresentar neste mercado de trabalho? Sendo um profissional da informação tendo as atitudes e competências diferenciadas? Mencionou suas carreiras profissionais e pessoais que se apaixonou pela Biblioteconomia, por sua percepção, há uma ausência de empatia em compreender a necessidade informacional do ser humano.
Para criar uma interface do site, os biblioempreendedores precisam fazer auto-questionamento antes de aplicar uma determinada metodologia digital, nunca tenha medo de arriscar em conhecer: arquitetura da informação.  Observar que está acontecendo neste cenário contemporâneo, para que possa criar novos produtos e serviços, assim a demanda terá agilidade e satisfação em sua necessidade emocional e cultural. Também compartilhou uma reflexão provocativa aos participantes.
“O Profissional da Informação precisa ir além de sua capacidade intelectual e emocional, para aplicar o verbo empreender”. (PIMENTEL, FIEB. 2016).

A terceira convidada Paula Azevedo Macedo apresentou as suas experiências sobre arquitetura da informação. Fez uma pergunta bem simples, para todos os participantes profissionais da informação: “como vocês se imaginem, daqui cinco anos?”. Essa pergunta fazia todos os dias para si mesma, para alcançar seus objetivos profissionais e pessoais.
Conheceu esse conceito por meio de um livro, indicado por uma Docente da USP, foi descobrindo e aprendendo como fazer um Desing Thiking para site na internet e outros ambientes reais e virtuais. Também afirmar a reflexão anterior da Laura Pimentel:
“A Biblioteconomia Brasileira é feita para as pessoas, descobrirem e acessar nosso conhecimento”. (MACEDO, FIEB. 2016).
Todos os dias estamos aprendendo, independente da comunidade, assim aplicamos um chavão que é muito conhecido pelo ditado popular: saia da zona de conforto.

Fonte: Google Figura 6

A última parte do evento foi lançamento do livro: Empreendedorismo na Biblioteconomia – Organizado pela idealizadora e responsável Daneila Spudeit.
Fonte: Revista Biblioo
Bem próximo do enceramento, foi anunciado a próxima cidade-sede do FIEB em 2017: Rio de Janeiro – 9 de Setembro, anotem em sua agenda, para quem tive interesse em participar desse sensacional evento.  
Fonte: Facebook

Para saber sobre esse evento, acessem os seguintes links:
 
Fonte: Facebook
Quando fui participar desse evento, tendo a participação de todos os profissionais da informação do Brasil, fique muito feliz e realizado. Não senti que estou sozinho, há vários BiblioAmigos (que considero a partir desse evento) que estão mesmo barco neste oceano do social. Ouvindo atentamente todos os relatos, percebi que foi dito a todo instante pelos convidados, por meio de suas experiências as palavras: aprender, compartilhar, amar e essencial gostar de seres humanos. Por essa imagem digo: juntos somos mais unidos! Agradeço todos vocês que estão lendo essa reportagem especial, abraços e muito obrigado.

segunda-feira, outubro 03, 2016

PEC: O Acervo e Constituição da Modateca do Senac e sua Multidisciplinaridade

No dia 11 de outubro, terça-feira, haverá o Programa de Extensão Curricular intitulado "O acervo e constituição da Modateca do Senac e sua multidisciplinaridade", ministrado por Angela Regina Lopes Leal.

O evento é gratuito e ocorrerá na sala 65 da FESPSP, das 11h30h às 13h. Para se inscrever, basta preencher o formulário


Não deixem de conferir!


C.A. do Borba: Troca de Textos de Biblio

A gestão do Centro Acadêmico Rubens Borba de Moraes enviou uma novidade para todos os estudantes de Biblio.

Vamos conferir?



NOVIDADES NO CA DO BORBA

Como parte de uma das propostas da nossa chapa, estamos dando início ao TROCA DE TEXTOS DE BIBLIO. Quer saber como funciona?

O TROCA DE TEXTOS DE BIBLIO é um repositório que organizamos no intuito de que, de forma colaborativa, a comunidade acadêmica da Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação (FaBCI) possa ter acesso à materiais usados nos semestres anteriores, sendo dessa forma uma fonte de pesquisa e referência usadas durante o ano letivo. Aqui você encontrará tanto artigos, livros e recortes, quanto slides de aulas ministradas nos semestres anteriores.

O TROCA DE TEXTOS DE BIBLIO está em meio digital no Google Drive, organizado por SEMESTRE > ANO > DISCIPLINA. O seu acesso pode ser total ou específico. Por exemplo:

Em caso específico: Ter acesso apenas aos materiais usados no 2ª semestre de 2015 na disciplina de Representação Descritiva I, liberaremos o acesso à apenas esta pasta.
Em caso de acesso total: Ter acesso ao repositório completo ou à pasta que contém todos os arquivos do 2ª semestre de 2015, liberaremos o acesso à apenas esta pasta.

Nós temos também, alguns materiais de forma física que ficam guardados no Centro Acadêmico (CA), localizado no Térreo do prédio da FESPSP. Caso você queira ter acesso a esses materiais, para verificar se serão úteis para você, procure algum membro do Centro Acadêmico Rubens Borba de Morais. 

Como este nosso repositório funciona de forma colaborativa, um escambo de textos, é importante que você contribua com materiais que julgue importante ser compartilhado com os colegas. Isso manterá o nosso repositório sempre com materiais novos e irá crescer conforme os anos.

Dessa forma, nosso meio de comunicação é o e-mail trocadetextosdebiblio@gmail.com por este e-mail, você poderá enviar os materiais; que passarão por análise, enviar dúvidas e também enviar a sua solicitação de acesso.

Para o acesso é necessário ter uma conta no Google e após enviar a sua solicitação para nós especificando a sua necessidade, assim que possível, você receberá um e-mail como este abaixo:



Então, é só clicar no ABRIR ao final do email, fazer o login no Google e você terá acesso ao conteúdo que você solicitou.

É importante frisarmos que este repositório é um histórico do que já foi utilizado nos semestres anteriores e não anula o que é disponibilizado no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) atualmente. Os materiais usados no seu atual ano letivo, só serão integrados ao TROCA DE TEXTOS DE BIBLIO após o término do semestre vigente.

Estamos animados para contribuir com o crescimento acadêmico e dessa forma, disseminados mais informação!

Não perca tempo e envie a sua solicitação e colaboração!



Coordenadoria de Documentação:
Beatriz Santos Pereira (2º semestre matutino)
Julia Alves dos Santos (4º semestre noturno)
Regiane Aparecida Correia Melo (4º semestre matutino)
Design:
Maria Vitória Santos Gonçalves (4º semestre matutino)

Inscrições: IV Seminário Serviços de Informação em Museus

Na terça-feira, 04 de outubro, começarão as inscrições para o IV Seminário Serviços de Informação em Museus, evento realizado pela Pinacoteca de São Paulo em parceria com o SESC, cujo tema será “Informação Digital como Patrimônio Digital”. O seminário acontecerá nos dias 08 e 09 de novembro, no Sesc Bom Retiro, e o valor das inscrições varia entre R$24,00 e R$80,00.

Para se inscrever, basta acessar o site do SESC ou comparecer a alguma das unidades da instituição.

Segue abaixo a programação do evento.

Mais informações pelo e-mail: seminarioinfodigital@bomretiro.sescsp.org.br


Não deixe de se inscrever e participar!